Dívidas com Marcão devem gerar novos problemas ao Sport no CNRD; Confira outros casos

(Foto: Pedro Souza / Atlético MG)

Os últimos anos não tem sido fáceis para o Sport. Além da distância da briga por coisas relevantes e a inconstância no cenário nacional, o Leão tem sofrido, antes de qualquer coisa, com problemas financeiros que surgiram na reta final de 2017. Dívidas, salários atrasados e processos trabalhistas tem sido parte da rotina dos Rubro-negros desde então. E nesta quinta-feira (6), veio à tona a consequência de mais débitos em aberto com um ex jogador do clube: o volante Marcão, que anunciou, nos últimos dias, que não seguirá na Ilha do Retiro em 2022 em decorrência do não cumprimento de acordos neste quesito.

Com pagamentos a serem recebidos desde sua primeira passagem, em 2018, o volante defendeu a camisa do Sport em 2019, 2020 e 2021, sob trato de repactuação das dívidas. No entanto, de acordo com o próprio atleta, neste período os débitos apenas se acumularam, o que foi a gota d’água para sua não permanência. Segundo o repórter Anderson Batista, da Rádio Vicência FM, a situação deve ser mais um problema para os leoninos na Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD). E desta vez, a tendência é que a causa seja a mais alta de todas, estipulada no valor de aproximadamente R$ 3 milhões.

<i>(Foto: Paulo Paiva/DP Foto)</i>
Foto: Paulo Paiva / Diário de Pernambuco

Relembre outros casos do Sport na CNRD

Sofrer com processos e punições na CNRD não é novidade na realidade atual do Sport. Os pernambucanos estão, atualmente inclusive, punidos sem poder registrar jogadores em decorrência da pendência de um pagamento ao volante Rithelly no calor de aproximadamente R$ 1,5 milhão. Anos antes, o Leão passou por esse mesmo problema após denúncia do meia Mark Gonzáles, devido a uma dívida de mais de R$ 645 mil que impediu o clube de registrar novos atletas por um período no início de 2020.

Acumulando salários atrasados com diversos jogadores que passaram pela Ilha do Retiro nos últimos anos, os Rubro-negros tem mais denúncias que podem ser convertidas em punição futuramente. Uma das que está próxima de chegar nesse estágio é a movida pelo meia Thomás, que atuou com a camisa leonina em 2017 e 2018, e reivindica cerca de R$ 250 mil,.