Capitão do Sport, Rafael Thyere volta a jogar em vitória na Ilha do Retiro

Foto: Rafael Bandeira/ Sport Club do Recife

Capitão e referência do Sport, o zagueiro Rafael Thyere voltou a atuar pela equipe na importante vitória sobre o Bahia, na última segunda-feira (12). Após período em recuperação de lesão na coxa, o defensor foi acionado na reta final da partida e ajudou o Leão a manter o resultado de 1 a 0, na Ilha do Retiro. Há três anos no Clube, Thyere construiu larga identificação com as cores rubro-negras e foi aplaudido pela torcida tanto ao entrar em campo, quanto ao término do jogo.

“É maravilhoso retornar. Ficar um período fora é sempre complicado, mas fico feliz de estar de volta e ajudar a equipe. E estou mais feliz ainda de poder ver a alegria do nosso torcedor, que lotou a Ilha”, iniciou.

“Estou muito contente de voltar ao Clube que me recebeu maravilhosamente bem. Essa vitória é para eles”, reforçou Thyere.

Técnico do Leão, Claudinei Oliveira falou sobre o retorno do defensor e destacou a importância que Thyere possui junto ao elenco. O treinador também avaliou a possibilidade de utilizá-lo no próximo compromisso do Sport, diante do Grêmio, terça-feira (20).

“Vamos ver, avaliar, conversar, Thyere é esclarecido e inteligente. Ele é importante, nosso capitão. Uma liderança”, afirmou Claudinei.

Rafael Thyere volta a ficar disponível no Sport

Diretoria faz pronunciamento e detona arbitragem após lances polêmicos contra o Sport; Confira

Sport derrotou o Bahia por 1 a 0, na Ilha do Retiro e encostou mais uma vez no G4. Apesar do bom resultado, membros da diretoria rubro-negra realizaram um pronunciamento sobre possíveis pênaltis não marcados na partida, e também sobre outros lances envolvendo a arbitragem na derrota contra a Ponte Preta na última rodada.

Ao lado de Jorge Andrade, executivo de futebol, e do presidente Yuri Romão, o vice-presidente de futebol do Sport, Augusto Carreras, criticou os critérios utilizados pela arbitragem nas partidas do time pernambucano.

“A gente tem encontrado ao longo do campeonato muita dificuldade com relação ao sistema de arbitragem. Quando eu falo do sistema da arbitragem estão incluídos árbitros de campo e árbitros de vídeo. Sobretudo com a falta de critério que vem sendo adotada”, disse Carreras.

O dirigente do Sport também abordou especificamente sobre lances das partidas contra Ponte Preta e Bahia.

“Vocês viram no jogo passado (contra a Ponte Preta) quando o juiz de campo manda o lance do Sabino seguir e logo depois o VAR paralisa e chama o juiz. Eu tive a oportunidade de escutar esse áudio, para mostrar a possibilidade de um pênalti. Na nossa visão não foi pênalti porque o atacante está em direção a Sabino, andando de costas. Logo em seguida tem o gol claro de Kayke, onde a arbitragem de campo marca impedimento e não é visto nem pelo VAR.”

“A linha só é traçada muito depois que o jogo recomeça, impossibilitando tirar uma conclusão se a arbitragem de vídeo entendesse que não houve impedimento. Hoje a gente viu aqui na Ilha do Retiro duas oportunidades. Uma delas para mim com muita clareza de um pênalti que não foi marcado em cima de Gustavo Coutinho. E no final do primeiro um lance em cima de Sabino também foi pênalti. Nenhum desses lances foi analisado pelo VAR”, afirma o vice-presidente de futebol.

Carreras também comentou sobre uma solicitação não acatada pela CBF. Segundo o dirigente do Sport, a Confederação Brasileira de Futebol teria enviado apenas o áudio sobre o pênalti marcado a favor da Macaca.

“No jogo contra a Ponte Preta solicitamos à Comissão de Arbitragem todos os áudios do VAR dos lances polêmicos, inclusive discriminando no ofício de solicitação os lances. Mas para nossa surpresa só foi disponibilizado o lance do pênalti marcado em favor da Ponte Preta”.